Submissão de Trabalhos

INFORME, Dia 16/07 sairá a listagem dos trabalhos aprovados, após isso, ainda haverá uma semana para correção dos trabalhos e nova submissão

A Submissão de trabalhos, assim como a Inscrição no Evento serão realizados pelo Sistema de Eventos da Unioeste – SGEV. Para mais informações sobre como se cadastrar e acessar esta plataforma, no link a seguir.

ACESSE O SISTEMA DE CADASTRO NO EVENTO AQUI

Na 2ª edição do SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL, haverá espaço para a submissão de trabalhos, para divulgação, publicação e compartilhamento de relevantes trabalhos de pesquisadores na abrangente área do Desenvolvimento Rural Sustentável.
Para isto, cada artigo deve se adequar a um entre os 9 Grupos de Trabalhos (Gt’s) oferecidos.

O evento oferece 14 Grupos de Trabalhos (GT’s);

São permitidos somente dois trabalhos por autor;

É permitido mandar trabalhos para GTS diferentes;

São aceitos artigos completos com no máximo 10 autores;

Apresentação do artigo é de forma individual, sendo o certificado enviado para o apresentador, constando nome de todos os autores.

  • GT1 – TERRITÓRIOS, REDES DE SOLIDARIEDADE E DESENVOLVIMENTO CONTRA-HEGEMÔNICO

Ementa: Neste GT debater-se-á processos de desenvolvimento centrados em redes curtas e longas, comparando-se diferentes iniciativas e se destacando a importância dos territórios, da proximidade e da identidade, a partir dos seus valores econômicos, políticos, culturais e ambientais.

Coordenadores: Prof. Dr. Marcos Aurélio Saquet, Prof. Dr. Cesar Ramirez Miranda Prof. Dr. Adilson Francelino Alves, Clara, Emerson, Renné, Pâmela Cichoski, Prof. MsC Enrique Rodriguez.

  • GT2 – INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS, AGROENERGIA E GESTÃO

Ementa: Este GT trata das inovações tecnológicas na agricultura familiar, agroecológica e agroindustrial.  Processos de inovação na gestão das propriedades, entidades ligadas à agricultura familiar e gestão de politicas públicas, bem como suas aplicações. Empreendedorismo e tecnologia social no meio rural. Matérias primas com potencial de produção de energia e processos de produção de energia e produtos energéticos no meio rural

Coordenadores: Prof. Dr. Armin Feiden e Prof. Dra. Adriana Maria De Grandi, Kleitson, Keitlanger, Prof. Dr. Arlindo

  • GT3 – AGROECOLOGIA

Ementa: O Grupo Temático de Agroecologia tem como objetivo receber trabalhos e relatos de experiências que enfoquem processos de transição agroecológica, em seus diversos níveis, desde o nível de racionalização e substituição de insumos até a construção de sistemas de alta complexidade. Podem ser enfocados os diferentes campos do desenvolvimento rural em bases agroecológicas que envolvam a relação sociedade e natureza, uso e conservação dos recursos naturais, manejo de agroecossistemas sustentáveis, construção do conhecimento agroecológico, utilização da homeopatia na transição agroecológica entre outros relacionados ao tema. Não serão aceitos, neste GT, em hipótese nenhuma, trabalhos de nanotecnologia, agrotóxicos, transgenia, produtos mutagênicos, tecnologias nucleares, ou simples comparação entre insumos orgânicos e convencionais.

 Coordenadores: Prof. Dr. Alberto Feiden, Edgar Aparecido da Costa (UFSM), Milton Parron Padovan  (Embrapa Agropecuária Oeste).

  • GT4 – MOVIMENTOS SOCIAIS, REFORMA AGRÁRIA E RESISTÊNCIA NO CAMPO

Ementa: Conflitos e lutas pela terra e pela água. Reforma agrária e assentamentos rurais: luta pela terra e luta na terra. Conflitos ambientais e relacionados ao uso agrotóxico. Criminalização dos movimentos sociais. Movimento e luta de mulheres camponesas. Conflitos decorrentes da mineração e grandes obras de infraestrutura. Movimentos sociais anti-globalização. Conflitos agrários nas fronteiras. Teoria dos movimentos sociais no campo. Violência no campo. Soberania alimentar. Luta dos indígenas pela terra. Resistência e modo de vida camponês

Coordenadores: Prof. Dr. João Edmilson Fabrini, Prof. M. Elemar Cezimbra (UFFS) Prof. Dr. Djoni Roos. Prof. Dr. Conrado Marques

  • GT5 – EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DE BACIAS

Ementa: Inserem-se trabalhos que apresentam processos educativos fundamentados nos seguintes enfoques: Perspectivas e tendências epistemológicas, praxiológicas, axiomáticas, políticas e metodológicas da Educação Ambiental; Educação para a agroecologia, economia campesina e economia solidaria; Educação no campo, para comunidades tradicionais e povos indígenas; Educação inclusiva, e para a acessibilidade, direitos humanos, da terra e justiça ambiental; Educação ambiental (formal, não formal e informal), meio ambiente, saúde e proteção das águas; Cidades sustentáveis, seguras e resilientes;  Ética, ciência e sustentabilidade; Ética, bioética e meio ambiente; Promoção da ética para a vida e para uma cultura da paz; Redes de educação ambiental; Estudos do território, qualidade da água das nascentes, rios e córregos, Mata ciliar e processos de uso da terra baseados no conceito de Bacias Hidrográficas; Água como fonte de vida e saúde; Água, escassez, aproveitamento, cuidado e fonte econômica de recursos; Cidadania e desenvolvimento de sociedades sustentáveis; Mudanças climáticas, resiliência; Territórios resilientes urbanos e Rurais

Coordenadores: Profa. Dra.Irene Carniatto, Profa. Dra.Marli Renate von Borstel Roesler , Profa Dra. Isabel Tamara Pedron, Prof. Dr. Alvori Ahlert, Prof. Dr. Conrado Marques, Jean, Silvia Mattei, Celso José Farias, Prof. Sunilda, Prof. Mirna Almna.

  • GT6 – GESTÃO DAS ÁGUAS NA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS

Ementa: Este GT tem como objetivo reunir pesquisas voltadas à gestão das águas e ao uso múltiplo dos recursos hídricos, bem como discutir ações concretas envolvendo o setor público, empresas, sociedade e seus diferentes usuários. Pretende discutir ações de âmbito local, regional, nacional e internacional que promovam o uso racional e sustentável deste patrimônio natural de forma a contribuir para o conhecimento científico e geração de tecnologias. Busca apresentar soluções e inovações sócio-tecnológicas que promovam o desenvolvimento sustentável e permitam a produção de alimentos, agregação de valor e melhorias da qualidade com utilização da água de forma sustentável, seja para promover ações que minimizem seu impacto na geração de energia, na produção de alimentos, visados na produção em ambientes aquáticos ou de origem da pesca e da industrialização ou processamento dos alimentos.

Coordenadores:Prof. Dr. Aldi Feiden, Prof. Dr.Altevir Signor, Sidnei Tavares, Ana Maria da Silva, Andreia Pasini, Ijean Riedo, Prof. MsC Lisa Samudio.

  • GT7 –  SEGURANÇA E SOBERANIA ALIMENTAR; CULTURA ALIMENTAR: INTERFACES NOS CONTEXTOS RURAIS E URBANOS.

Ementa: Este GT serão debatidos os seguintes temas: Políticas públicas de SAN;  Cadeias curtas de comercialização; Processamento de alimentos: potencialidades e impactos para a Soberania e Segurança Alimentar; Políticas e estratégias sustentáveis para garantir o abastecimento e a comercialização de alimentos; Educação para fomentar a escolha alimentar saudável; Impactos/efeitos do uso de agrotóxicos sobre a saúde humana e sobre o meio ambiente; Valorização cultural alimentar; dos modos de saber-fazer e o patrimônio cultural; Transformações nas práticas alimentares na contemporaneidade; publicidade em alimentos para crianças; Desperdício de alimentos e suas interfaces; Hábitos alimentares; Segurança Alimentar e gênero; Alimentação e diversidade etnosociocultural; aspectos sociais de consumo alimentar por diferentes grupos em grau de vulnerabilidade social.

Coordenadores: Profa Dra. Luciana Oliveira de Fariña, Profa Dra.Romilda de Souza Lima, Juçara Schram, Veridiany Filus, Jaciara Reis, Rafael Heinrich. .

  • GT8 – EDUCAÇÃO DO CAMPO; PATRIMÔNIO CULTURAL E SABERES TRADICIONAIS; GÊNERO E RURALIDADES

Ementa: tem como objetivo reunir pesquisas voltadas ao patrimônio cultural e aos saberes tradicionais relativos ao universo das ruralidades: Os modos de fazer; As dinâmicas de repasse dos saberes – inclusive, aquelas que envolvem a oralidade; Relações inter-geracionais; O patrimônio cultural alimentar e suas relações com o território. Discussões de gênero e ruralidade. Serão abordados também neste GT as pesquisas relativas aos aspectos teóricos e metodológicos da Educação do Campo

Coordenadores:Prof. Dra. Nelza Mara Pallú

  • GT9 – EXTENSÃO RURAL, JUVENTUDE E SUCESSÃO RURAL, TURISMO RURAL

Ementa:  Este GT tem por objetivo debater sobre pesquisas relacionadas à extensão rural, juventude, sucessão rural e, turismo rural. Pretende-se contribuir para uma maior divulgação de pesquisas relacionadas ao tema, bem como fomentar discussões envolvendo ações concretas no tocante à contribuição da temática em estudo para o desenvolvimento rural sustentável. Busca-se ainda, trazer para o âmbito do desenvolvimento rural sustentável questões ligadas ao  publico alvo, da nova ATER, de ações realizadas junto a agricultores familiares, comunidades indígenas, pescadores, quilombolas, povos da floresta, ações extensionistas, horta mandala e urbana, bem como as ações de turismo rural na agricultura familiar e também metodologias participativas, assim como, estudo de diagnósticos.

Coordenadores: Prof. Dr.Wilson João Zonin, Nardel Luiz Soares da Silva, Prof. Dr. Valdecir Zonin, Fabio Corbari, Vinicius Mattia, André Hein, Prof. Dra. Rosislene de Fátima Fontana, Prof. Simeon Aguallo,

  • GT10 – COOPERATIVISMO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA

Ementa: O Grupo de Trabalho se propõe a problematizar e refletir as práticas de cooperação no âmbito do desenvolvimento rural, objetivando a emancipação socioeconômica dos atores, diante os processos hegemônicos fortalecidos pela dinâmica da globalização. Dos temas para a discussão destacam-se a integração que o cooperativismo consegue alavancar entre processos de transformação econômica e processos culturais, sociais e políticos; a inserção em redes de colaboração e de apoio mútuo; a capacidade de atuar em termos de escalas, do local ao global; a democracia participativa e a democracia econômica; os conhecimentos organizacionais e produtivos enquanto estratégias para a emancipação social por meio da cooperação; as relações de sinergias das cooperativas com outras esferas da economia e sociedade, com ênfase nas políticas públicas. Tem importância, também, os estudos de outras formas de ação coletiva (associações e condomínios) nas dinâmicas de desenvolvimento rural sustentável, as experiências de gestão de empreendimentos dos diferentes ramos cooperativos, incluindo os aspectos de educação, legislação, mercados, serviços e produtos.

 Coordenadores:, Prof. Dr.Clério Plein, Prof. Dr., Prof. Dr. Dirceu Basso, Calos Alberto da Silva, Carlos Wrase, Luiz Carlos Dias, Julie Pavinato

  • GT11 – AGRICULTURA DE MONTANHA E SISTEMAS AGROFLORESTAIS:

Ementa: O grupo temático tem como objetivo receber trabalhos e relatos de experiências que enfoquem: (1) o desenvolvimento sustentável com base em novos caminhos para a gestão territorial integrada de ambientes montanos em um contexto de mudanças climáticas, incluindo políticas públicas, uso da terra, segurança alimentar e hídrica de suas comunidades; (2) estratégias para a construção de paisagens sustentáveis com base em sistemas agroflorestais.

CoordenadoresRenato Linhares de Assis (Embrapa Agrobiologia), Adriana Maria de Aquino (Embrapa Agrobiologia), Prof. Dr. Daniele Rorato (UNIOESTE)

  • GT12 – AGROPECUÁRIA SUSTENTÁVEL

Ementa: Apreciar trabalhos que contribuem para o desenvolvimento sustentável da Agricultura e Pecuária, controle biológico de pragas e doenças, manejo sustentável de solos, produção de leite agroecológico, praticas sustentáveis na agropecuária.

Coordenadores: Coordenadores Prof. Dr, Emerson Fey, Prof. Dr. Edleusa Seidel, Profa. Dr. Maximiliane zambom, Profa.  Dr. Marcela Abbado Neres, Prof MsC Patricias Rojas. Prof. Dra. Daisy Ramirez.

  • GT 13 – GESTÃO, LEGISLAÇÃO E POLITICAS DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL

Ementa: Constituição Federal e proteção ambiental. Código Florestal Brasileiro. Sistema Nacional do Meio Ambiente. Aspectos jurídicos da poluição. Gestão do capital e social. Empoderamento. Custos de produção e comercialização. Gestão ambiental. Gestão do Agronegócio.

Coordenadores: Prof. Dr Geysler, Prof. Dr. Marta, Prof. Dr. Sandra

  • GT14 – AGRICULTURA, SABERES E LÍNGUAS INDÍGENAS

Ementa: O debate e o aprofundamento das discussões sobre o modo de vida, os saberes e línguas das sociedades indígenas brasileiras sempre tiveram um espaço importante nos debates acadêmicos especialmente para aqueles/as pesquisadores/as que trabalham com a temática mais ampla de diversidade. No Brasil existem cerca de 300 sociedades indígenas falantes de mais de 240 línguas diferentes, toda essa diversidade expressa uma riqueza sem igual que vem sendo estudada por uma variedade grande de programas de pesquisa espalhados por todo o território nacional. Conhecer o atual estado das pesquisas e os principais recortes teóricos que orientam esses estudos é de extrema importância para quem estuda a temática indígena em todas as suas dimensões. Por outro lado, promover um espaço de debates sobre a diversidade desses modos de vida tão diversos é central para que se possa refletir sobre novas possibilidades para construção de alternativas aos modelos de desenvolvimento social e econômico, tão predatórios, produzidos no interior das sociedades ocidentais. Debates sobre categorias como Bem Viver indígena, o uso de recursos naturais, territorialidade, serão muito bem-vindos ao GT.

Coordenadores: Prof. M. Mario Ramon Villalba (UNILA), Prof. Jacqueline Parmigiani, Prof. Eloá

________________________________________________________________

NORMAS DE SUBMISSÃO E APRESENTAÇÃO:

– O evento estará aceitando a submissão de trabalhos na forma de ARTIGO CIENTÍFICO, na extensão de 10 a 20 páginas, incluído resumo, referências bibliográficas, notas, imagens, tabelas e anexos importantes para a compreensão do trabalho (modelo para download no fim desta página).
– O artigo deve ser estruturado, obrigatoriamente, em título, resumo, abstract, palavras-chave, key-words, introdução, desenvolvimento (de acordo com a natureza do trabalho), conclusão e referencial bibliográfico.
– A Fonte deve ser Times New Roman, tamanho 12, Espaçamento entre linhas de 1,5 cm, espaçamento da página com margens de 2,5cm (inferior, superior, esquerda e direita).
– Títulos e subtítulos com a primeira letra em maiúscula e em negrito, espaçamento de 1 linha até o desenvolvimento da sessão. Espaçamento entre sessões de 2 linhas.
– Os arquivos devem estar em formato PDF. Arquivos submetidos em outro formato podem inviabilizar a leitura pelos pareceristas e serão excluídos automaticamente no início da fase de avaliação.
– Após a submissão não haverá a substituição de arquivos. Portanto tenha certeza de que o arquivo está correto e contém todas as exigências descritas acima.
– Serão aceitos trabalhos escritos em português, espanhol ou inglês. Entretanto, para a apresentação dos mesmos (forma oral/poster) não haverá tradução simultânea, sendo indicado a língua principal do evento: Português.
– Apenas o apresentador do trabalho tem obrigatoriedade de realizar a inscrição e pagamento no evento.
– É obrigatório que cada apresentador esteja presente no inicio da sessão do GT e só se retire ao fim da apresentação de todos os trabalhos, arguições e perguntas, não sendo permitido um apresentador participar de mais do que um GT.
– A forma de apresentação poderá ser realizada nas seguintes modalidades: APRESENTAÇÃO ORAL e PÔSTER. A decisão da forma de apresentação de cada trabalho será realizada pela coordenação de cada GT, e será divulgado quando publicarmos o resultado e aceites dos trabalhos, assim como o modelo de banner, para aqueles que forem selecionados nesta modalidade.

Critérios de Avaliação dos artigos.

Relevância do tema para o DRS;

Adequação as normas, tabulação e formatos específicos do evento;

Originalidade dos assuntos tratados e consistência dos resultados;

Adequação do título, resumo, introdução desenvolvimento, do texto e conclusão;

Desenvolvimento do texto: sequência lógica, coerência, consistência/fundamentação e/ou análise de dados;

Redação do texto: unidade e articulação, concisão, clareza e atendimento das regras gramaticais, sintáticas, ortográficas e de pontuação;

Atualidades dos conceitos/teorias;

Adequação/utilização da metodologia;

Adequação as normas do evento e citações adequadas as NBR;

Nível de contribuição do texto para o evento.

DATA FINAL PARA SUBMISSÃO DOS ARTIGOS: 15 DE junho DE 2019

MODELO ARTIGO CIENTÍFICO -caso não apareça a logo do evento no cabeçalho do artigo é só ir em inserir/cabeçalho/editar cabeçalho, que aparece a logo novamente no cabeçalho.

MODELO ARTIGO

Anúncios